Publicado em 13/09/2021 19h35

Sedap levou o Mais Pesca Itinerante à Barra do Pojuca nesta segunda (13/9)

Camaçari

Os ribeirinhos situados na Lagoa da Paz, em Cachoeirinha, distrito de Barra do Pojuca, receberam o Mais Pesca Itinerante, da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pesca (Sedap), na manhã desta segunda-feira (13/9). O objetivo da ação, que transcorreu durante todo o dia, foi permitir a regularização de profissionais que ainda não estavam integrados ao programa, bem como levar informações e esclarecimentos ao público-alvo acerca de programas sociais oferecidos pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedes), ação possibilitada pela parceria entre as pastas.

A primeira localidade a ser contemplada com o Mais Pesca Itinerante foi Cachoeirinha, em Barra do Pojuca, e a ação seguirá por toda a costa, até chegar em Jauá. Atualmente, o programa beneficia cerca de 200 pescadores e marisqueiras do município com o valor mensal de R$440. A meta da Sedap é dobrar essa marca até o fim da ação itinerante, cuja agenda tem como próximos pontos de parada Várzea da Meira, em Monte Gordo, e Prainha, em Parafuso, com datas ainda a serem definidas.

Para Antônio Falcão, secretário da Sedap, a ação visa contemplar de forma horizontal todos os pescadores e marisqueiras de Camaçari. "Falamos para a comunidade que íamos implantar um programa que manteria as portas da secretaria abertas para todos se cadastrarem. Mas tem gente que está tendo dificuldade de chegar até a Sedap, então nós estamos vindo até eles. É como se fosse uma visita de campo. Só não vai se cadastrar realmente quem não quiser. Por isso que nós estamos aqui hoje em Cachoeirinha e assim a gente vai seguir em toda Camaçari até cadastrar o último que tiver dentro dos critérios", afirmou o gestor.

Segundo Edimar Aragão, coordenador do Mais Pesca, o programa quer cadastrar esses pescadores de rio, levando serviços à comunidade. "Em parceria com a Sedes, estamos trazendo também uma palestra pra tratar da importância do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) para que eles possam ter acesso aos serviços sociais, a exemplo da parte documental, que é bastante precária. Então estamos fazendo essa abordagem para conhecer as dificuldades reais que eles estão tendo para poderem ter o cadastro concretizado", explicou o coordenador. Para ele, a documentação é ponto sensível na execução dos programas de ambas as pastas.
 
Lucilene Ramos, presidente da Associação de Marisqueiras de Barra do Pojuca, a Sedap está cumprindo o que disse. "Os pescadores e marisqueiros estavam praticamente esquecidos, e através do secretário ele prometeu esse apoio à comunidade e hoje a promessa está sendo cumprida. Eles estão precisando. O marisco e o pitu estão muito escassos, mas, mesmo assim, eles estão no dia-a-dia dos ribeirinhos, por sua sobrevivência", esclareceu Lucilene, mais conhecida como Galega na comunidade. Segundo a presidente da associação, no mínimo 30 pessoas seriam cadastradas até o fim do dia.

Para o ribeirinho Veríssimo dos Santos, a pandemia criou um grande transtorno na vida de cada um deles. "O desempregado fica sem opção pra nada", reconheceu. Conhecedor das tramas da pesca ribeirinha, disse que nas horas vagas atua em outras funções, mas que o lastro deixado pela pandemia é o da informalidade. "Até pra gente sair pra procurar um trabalho é difícil, porque as empresas todas paralisaram. Eu também trabalho como barman, com drinques, mas foi tudo paralisado. Hoje eles nem querem contratar mais, só no esquema de diária", lamentou.

José Ubiratan de Matos, outro nativo do local, comemorou a chegada do Mais Pesca Itinerante, em função dos desafios da vida cotidiana. "Aqui a gente vive da pescaria. Fui criado com os mariscos do rio e aqui a gente pesca o pitu, o robalo, e eu tenho quatro filhos e todos ainda moram em casa. E todos têm trabalhos informais. Três meninas e um menino", declarou. José Ubiratan completa 59 anos em outubro próximo, e agora, com motivos para comemorar.

Pescadores e marisqueiras interessados em se integrar ao Mais Pesca, programa que prevê ainda ações de valorização, modernização e beneficiamento da atividade pesqueira artesanal, podem entrar em contato com a Sedap, que fica localizada na sala 11 da Casa do Trabalho, com atendimento de segunda a sexta-feira das 8h30 às 12h.

Para o cadastramento, o interessado deve apresentar originais e cópias do RG, CPF, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), declaração do INSS para comprovação de que não recebe outro benefício, declaração emitida por associação de pescadores local ou a carteira de pescador que ateste a atividade pesqueira artesanal, dados da conta bancária, comprovante de residência dos últimos três anos (um de cada ano), documentos de identificação dos dependentes e atestados de escolaridade dos filhos, caso se aplique. Para outras informações, a pasta atende através do telefone (71) 3622-7343.

Autoria: Visão Diária Ascom

  • Link:

Comente essa notícia

Publicidade
Copyright 2009 - 2021 © www.visaodiaria.com.br - Todos os direitos reservados
jornalismo@visaodiaria.com.br • Tel/WhatsApp: (71) 9238-4606
Desenvolvimento: Tecnosites